Arquivo de etiquetas: Devaneios

Dilema resolvido

Como tinha dito no final do post Dilema, já tinha decidido o que fazer em relação à questão de ser ou não um blogger a jornada inteira.

Vou então partilhar o que decidi.

Decidi continuar a dedicar-me a ambas as vertentes. Pronto esta é a altura em que muitos de vocês dizem “Que tótó! Se fosse ganhar tanto dinheiro como ele, nem pensava duas vezes.” Para essas pessoas eu tenho algo a dizer: já gostaram mesmo de alguém? E gostaram por esse alguém vos pagar? Um emprego deve ser o mesmo, dentro do possível. (Pelo menos deveria.)
Quantas pessoas conhecem que estão descontentes com o que fazem mesmo a ganhar bem? Numa primeira fase ganham bem mas como não fazem o que gostam acabam por desmotivar, o que se repercute na sua produtividade e que acaba por por em risco o emprego.

O que eu quero dizer é que se deixar de fazer o que realmente gosto, a vida não não vai ser tão boa. E a partir do momento em que se tem um rendimento aceitável que permite ter comida na mesa e alguns extras, não vejo necessidade de ser milionário pois gosto do que faço e chego ao fim do dia a pensar isso.

E tu?

Dilema

Não este post não vai ser sobre nenhum dilema moral. No entanto é sobre um dilema real e prático.

Ao longo dos últimos dias tenho pensado na situação que vos vou apresentar. É algo que já tenho presente desde há já alguns meses.

Antes de mais vejamos a definição de dilema. “Dilema é um problema que oferece duas soluções, sendo que nenhuma das quais é aceitável.” (Wikipédia)

O dilema em questão diz respeito a se hei-de continuar a minha carreira offline ou se hei-de investir esse mesmo tempo no conjunto de blogs que tenho.

É uma espécie de abandonar ou não o emprego e tomar o passo definitivo para ser um problogger. Si ou não?

Vejamos algumas razões que estão a favor de abandonar a carreira e dedicar-me em jornada completa ao blogging:
– Liberdade de horários (nem vou colocar a a questão de que o trabalho tem que ser feito e pode comprometer esta liberdade, pois esta situação verifica-se em ambas as opções);
– Ser o meu próprio patrão
– Poder mandar determinadas pessoas dar uma ganda volta (eufemismo);
– Poder aproveitar melhor o tempo livre decorrente da liberdade de horários;
– Melhor gestão de esforço e de cansaço;
– Dedicando a jornada completa e a minha motivação para os projectos online teria rendimentos superiores. Talvez mesmo superiores aos que poderei vir a atingir num futuro próximo com a minha profissão.

Razões a favor de continuar com os projectos de carreira offline:
– Porque gosto. E esta é deveras uma grande razão;
– Porque sou bastante bom no que faço. Lamento meter nojo, mas é verdade e pronto;
– Ser respeitado (por mim e pelos outros) na área;
– Contacto com mais pessoas cara a cara;
– Pouca monotonia;
– Sentido de utilidade imediata.

Existia ainda a alternativa de me dedicar só aos meu projectos offline mas já tomei o gosto a ser um blogger. 😉

Eu já cheguei a uma conclusão, mas gostava de ouvir-te.

Deixem a vossa opinião: deixavas o teu emprego (de que gostas) para ser um blogger a jornada completa só para ganhar mais dinheiro?

O hi5 acabou ou está a começar?

O hi5 acabou está a começar? Ora cá está uma pergunta que muitos já devem ter feito.

Gostávamos que nos dissesses o que pensas do hi5. Será que este site social já teve melhores dias e vai te ruma morte lenta? Ou pelo contrário ainda vai crescer?

Na nossa opinião o hi5 em Portugal e o Orkut no Brasil são ferramentas que são primariamente usadas pela geração mais jovem e vêm perdendo importância. Apesar de o 2MagicMinds ter uma conta no hi5, acreditamos que é um meio limitado para relações mais “sérias” e profissionais.

Jogos de meninas e Flamengo

Ao pesquisar no Google Insights as palavras ou expressões mais pesquisadas no Brasil neste último mês, vi com surpresa que “jogos de meninas” e “flamengo” estavam a ter uma procura crescente.

Mas afinal, por que carga de água alguém iria pesquisar jogos de meninas… Pesquisar o nome do clube de futebol Flamengo eu compreendo, mas pesquisar jogos de meninas ultrapassa-me.

Alguém tem uma explicação para isto? Porque será que repentinamente o Brasil se interessou por jogos de meninas?